7 de jul de 2011

E tenho...

“Eu te amei muito. Nunca disse, como você também não disse, mas acho que você soube. Pena que as grandes e as cucas confusas não saibam amar. Pena também que a gente se envergonhe de dizer, a gente não devia ter vergonha do que é bonito. Penso sempre que um dia a gente vai se encontrar de novo, e que então tudo vai ser mais claro, que não vai mais haver medo nem coisas falsas. Há uma porção de coisas minhas que você não sabe, e que precisaria saber para compreender todas as vezes que fugi de você e voltei e tornei a fugir. São coisas difíceis de serem contadas, mais difíceis talvez de serem compreendidas — se um dia a gente se encontrar de novo, em amor, eu direi delas, caso contrário não será preciso. Essas coisas não pedem resposta nem ressonância alguma em você: eu só queria que você soubesse do muito amor e ternura que eu tinha — e tenho — pra você. Acho que é bom a gente saber que existe desse jeito em alguém, como você existe em mim.”
                (Caio Fernando de Abreu)

6 comentários:

  1. Olá, muito obrigada pela visita :)
    Seu blog é super legal, estou seguindo!
    Beijos e até+.

    ResponderExcluir
  2. Lindo lindo Caio!
    Beijos Karine!

    ResponderExcluir
  3. Não me canso de dizer o quanto é bom ler o Caio.
    Parabéns pelo blog!

    bjs meus :)

    http://amar-go.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Como pode o Caio ser tão lindo em palavras?

    ResponderExcluir
  5. Caio é maravilhoso. Um dos melhores escritos. Ele entende sobre o amor. Beijinhos e um ótimo fim de semana.

    ResponderExcluir