16 de nov de 2011

Assim revivo

Há momentos em que desejo fazer o tempo voltar e apagar toda a tristeza, mas tenho a sensação de que, se o fizesse, também apagaria a alegria. Assim, revivo as memórias da forma como vêm, aceitando todas elas, deixando que me guiem sempre que possível. Isso acontece com mais frequência do que as pessoas percebem. 
(Nicholas Sparks- Um amor para Recordar)

9 comentários:

  1. Olá Karine.
    Este teu blog é incrivel estou senguindo-o. Sentirei honrada em tê-la como seguidora em meu blog tambem.
    Beijinhos :D

    ResponderExcluir
  2. Olá ^^
    Nunca li esse livro mas sempre me recomendaram *-*

    Beijos e tudo de bom

    ResponderExcluir
  3. Não se pode mesmo apagar as coisas assim, por mais que tenhamos vontade. SOmos um grande quebra cabeça, cada sentimento, cada dor, cada sorriso é uma peça, se removermos perdemos a identidade O.o

    ResponderExcluir
  4. Por mais que agente queira ir lá no passado é apagar certas coisas agente não consegue, a tristeza nos faz crescer e nos ensina!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Que bonito! Agente tem que deixar o passado no lugar dele...

    ResponderExcluir
  6. Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Nayara e cheguei até vc através do Blog Alma de poesia. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir um blog do meu amigo Fabrício, que eu acho super interessante, a Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. A Narroterapia está se aprimorando, e com os comentários sinceros podemos nos nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs





    Narroterapia:

    Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.



    Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.

    http://narroterapia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Ah, eu também, ás vezes, tenho vontade de apagar tudo, maaas, é que nem vc disse, se eu apagar as tristezas vou apagar junto as alegrias, então sempre resolvo mantêr tudo guardadinho, as tristezas para aprendizado e as alegrias para lembranças boas como prova de que já fui feliz. E assim vou levando, até o tempo dissipar a dor e só resta vagas lembranças do passado!

    http://oamorhadevencer.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. é verdade, se não cometermos erros a vida perde a graça, pois é errando que se aprende!
    beijos

    ResponderExcluir