7 de dez de 2011

que descobriam em descobrir-se

  DE PLAY!
Me lembro quando te vi a primeira vez, fazia não me importar, era novo, e algo em você me chamou a atenção.Mas apenas isso nada mais, apenas um daqueles momentos estranhos que te fazem ver e ir além daquilo, entende?
Mas o tempo passou, os dias passavam, e sem querer você acabou se achegando, me fazendo rir com seu olhar, me fazendo caretas e me deixando feliz. Amava sua companhia, amava estar ao seu lado, quando assistíamos filmes e você deitava no meu colo e com descanso se sentia confortável só nele. Por um tempo eu te amei, desejei que seu sorriso fosse só meu, mas te vi sorrindo para outras, mas mesmo assim eu estava feliz, pois tudo o que eu queria era te ver sorrir. Você se afastou, não por muito tempo, mas foi o tempo suficiente para eu querer, outro, outro alguém, não me cansei de ti, muito pelo contrario, ainda te amo meu amigo,  hoje tudo o que estou fazendo é tirando umas férias desse tal de "amor".
Tinham jeitos estranhos de se falarem, jeitos que só eles entendiam. Quando se viam era como se um sol surgisse entre os dois, e quando se olhavam conseguiam traduzir os corações dos dois. Eles tinham essa capacidade, seus abraços eram os mais reconfortantes, sabiam quase tudo um do outro, não tudo, pois ai não haveria mistério. Já haveriam tentado, ela discutia com ele, mas a maioria do tempo, eram sorrisos, lembranças, ela conhecia muito bem ele, talvez ele não tanto ela.
-Se cuida. Ela falava para ele.
-Você também.
Eles eram amigos, que descobriam em descobrir-se, era estranho era lindo, vários indagaram que eram lindos juntos, mas hoje não, ela olha e seu sorriso foi trocado, ela indagava o que haveria acontecido, ela não conhecia mais ele.
-Você é uma menina muito especial, eu não quero machucar você. Está foi a última frase em que ele olhava dentro de seus olhos, com aquele jeito que só ele tinha, com a sinceridade que só ele possuía, E pela primeira vez ela teve certeza de que era o fim.
(Karine Cassol)

5 comentários:

  1. Karine, o fim de um ciclo, o começo de outro. Já assistiu o filme "500 dias com ela"? (Se não me engana a memória é esse o nome do filme). É um bom filme e que ilustra bem o seu texto.

    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Não pense que o fim é uma derrota, é o começo de outras histórias quem sabe com finais mais felizes. A música se encaixou perfeitamente !

    Bjs
    http://maviealeatoire.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Muito bonito seu texto, querida. Esses dias, um amigo meu me disse que é necessário dizer um tchau para que venham novos ois. Que apareçam novos e melhores começos para você.

    ResponderExcluir
  4. Karine,
    Lindo post.. A porta se fecha, mas abrem-se janelas...
    Obrigada pela visita no DMulheres e por me seguir.
    beijinhos docess...

    ResponderExcluir
  5. Nenhum final é bonito. Pode ser doce, até terno, mas é sempre doído.

    =\

    Um beijo.

    ResponderExcluir