13 de dez de 2011

Tudo avulso

Nas minhas memórias avulsas, encontrei vocês.
Um jeito simples e delicado de pedir empréstimo e voltar a ser como tudo era antes. Aquela coisa livre e solta, aquela coisa verdadeira que não permanece por um segundo, por apenas um momento, mas permanece a vida inteira. Os olhares, as conversas jogadas foras, mas muito bem guardadas, as risadas, os micos, os abraços. Ahhh os abraços como sinto falta, como sinto que nos dispersamos no tempo e acabamos nos perdendo, o bom é que as memórias ficam, os cheiros ficam, os sorrisos marcam e agente espera que em alguma esquina nos vejamos de novo e recomeçamos da estaca zero, uma nova história mais bela ainda. 
(Karine Cassol)

Um comentário:

  1. Têm muitas esquinas ainda, querida e nelas novos encontros.

    ResponderExcluir